Arquitetura com Bambu

O bambu é utilizado hoje na arquitetura em diversas maneiras. Tanto em coberturas, pisos, paredes e móveis. Além de ter diversas características que mencionaremos a seguir, o bambu contribui para a desaceleração do aquecimento global e para uma matéria-prima de crescimento rápido e renovável e absorve mais dióxido de carbono que a madeira, tornando-o ecológico.

O bambu além de ser um material elegante e harmônico, a sua estrutura não se concentra no eixo,já que é um material oco, se tornando bom em relação peso/resistência, ficando na frente da madeira e do aço.
Para se construir uma casa grande, seria necessário derrubar uma pequena floresta com uma médias de 130 árvores, na qual demorariam mais de 30 anos para se desenvolver. Com o bambu não temos esse problema, pois a planta brota novamente após o corte, crescendo em média 23 centímetros por dia. Ao final da construção se tem uma nova árvore com 20 metros.
Para utilizar o bambu é preciso ter cuidados e buscar fornecedores que tratam de maneira correta o material, pois caso contrário trará prejuízo ao usuário.
 
Coberturas:
ImageImage
Divisórias e painéis:
Image
ImageImage
Utensílios e móveis:
Image
Image
Estrutura da casa:
Image
 
Que tal utilizar um pouco mais esse material na sua residência?

Sustentabilidade – Projeto de Joalheria, por Vivian Coser

O projeto de inspiração de hoje é essa joalheira Emar Batalha, uma das joalherias mais importantes do Brasil.
A obra possui peças sustentáveis, na qual a arquiteta Vivian Coser tem grandes conhecimentos.
Os traços da arquitetura e decoração do ambiente, seguem uma linha clean e sofisticada, que a marca exerce. 

Image

A madeira utilizada nos móveis e deck da varanda gourmet, nobre lyptus, fora extraída de florestas renováveis a partir de árvores plantadas.

Image

Os jardins verticais levam a natureza dentro do espaço e foram elaborados também com madeiras reflorestadas e certificadas.

Image

Um detalhe que chama a atenção é do pergolado em madeira que teve vidro aplicado para proporcionar leveza e claridade com iluminação natural, e os tecidos para dar charme ao espaço.

Image

Image

Image

Image

Dividida entra áreas de vendas e presentes, há ainda o espaço gourmet que foi criado para receber clientes Vips para almoços e jantares, comandados por chefs badalados.

Image

Image

Vivian investiu nas cores neutras e suaves para destacar a beleza das jóias e utilizou algumas peças de design para realçar ainda mais a decoração.  

Image

Image

Image

Image

Image

 

fonte: revista Habitare

Resíduos florestais

Hoje em dia devemos nos preocupar mais com a questão de sustentabilidade e meio ambiente, para que tenhamos um futuro melhor. Mas muitos vezes não sabemos como fazer isso.
Hoje trouxemos a vocês um pouquinho sobre os resíduos florestais, que tem sido uma tendência na decoração e na arquitetura, como um estilo de vida ecológico.
Para isso, procuramos artigos produzidos a partir de materiais ecologicamente corretos, como por exemplo as madeiras de demolição e resíduos de árvores centenárias que sofreram a intervenção humana.
Esse tipo de objeto, além de ser material que se transforma em móvel ou objeto de decoração a partir da sua forma natural, é uma peça único!

Image

 

Selecionamos artistas e empresas influentes nessa área. 

O artista Hugo França: considerado percursor em utilização de detritos florestais para confecção de peças de decoração. Hugo menciona que hoje é uma tendencia na busca desse estilo, por um estilo de “morar consciente”.

ImageComeçou sua produção de esculturas mobiliárias na década de 80, no Sul baiano. Já produziu quase 1.500,00 peças que já foram apresentadas em diversos países como a França, Inglaterra, Alemanha, Suíça e Nova York e pode ser encontrado em seu showroon na cidade de São Paulo.

Image

Temos também a Fucapi (Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica)  uma das instituições que trabalham com peças em madeira regional, na qual produzem peças na Amazônia.
Segundo o engenheiro florestal Robervando Gonçalves, líder do núcleo de Design Tropical na Fucapi, hoje são exportadas peças para países Europeus e da América do Norte. A empresa produz em cada objeto o resgate artesanal e traços da cultura local, por isso o uso dos insumos da floresta é indispensável.

Image

 

Cerca de 700 trabalhadores do interior, dentre ele indígenas, participam da confecção das peças em diversos municípios do estado, como Itacoatiara, Maués, Novo Airão e Barcelos. O projeto promove ainda qualificação para melhor utilização dos recursos naturais no interior do Estado.

 

Image

 

Fonte: Revista Habitare e http://www.ciflorestas.com.br/

VILLA ESCUDERO

Como eu AMO lugares diferentes, para nos proporcionar experiências diferentes, foi pesquisando um lugar desses que encontrei a VILLA ESCUDERO um Resort localizado na província de Quezon, nas Filipinas.

O Resort oferece  diversas experiências, você pode remar em uma jangada de bambu nativo nas águas do lago,  assistir Fillipina Show  para conhecer a cultura do país, explorar as terras, para assistir muitas das 95 espécies de aves residentes gravados, dar um mergulho na piscina ou visitar a aldeia rural em um jeepney colorido e observar como coco é colhido e almoçar e jantar em um restaurante na cachoeira.

Isso mesmo!!! O O almoço é servido em mesas de jantar de bambu criados em alguns centímetros da água corrente cristalina das quedas. As águas da cachoeira fica sobre os seus pés enquanto você desfruta dos pratos fillipinos, criando um momento inesquecível, e possivelmente uma  experiência is incomum, depois da sua refeição você ainda pode relaxar debaixo da cachoeira.

Eu já estou morrendo de vontade de conhecer esse luga, mas enquanto não vamos para lá viajamos aqui na nossa imaginação!

ImageImageImageImageImageImageImageImage

Maneiras de reutilizar a garrafa pet

Você sabia que uma garrafa pet (politereftalato de etileno) pode levar cerca de 400 anos para se decompor no meio ambiente?
 
A boa notícia que temos é que esse material possui propriedades termoplásticas que permite ser reprocessado diversas vezes.
Por isso é muito importante a conscientização da população para reciclagem e coleta seletiva de lixo, ajudando a reduzir o volume de lixo e melhorando a decomposição do mesmo. Ao misturar lixo orgânico com resíduos que não se decompõem, estes acabam se transformando em barreiras impermeáveis dificultando a absorção do material, líquidos e gases da decomposição.
Por isso, antes mesmo de descartas as garrafas PET, que tal aproveitá-las de modo criativo e dinâmico?
Separamos alguns exemplos para que possam se inspirar e usarem a criatividade!
 
Pintá-las de branco ou colorido, é uma boa maneira de decorar sua casa com novos vasos!
Image
Image
 
 
Horta vertical! Como fazer?
Você vai precisar de apenas: Garrafas Pet de dois litros (vazias e limpas); corda de varal; tesoura; barbante ou arame; terra e muda de planta.
Image
 
ImageImage
Image
 
Esse modelo é bem simples e fácil!
ImageImage
Castiçais! Apenas com duas garrafas, você consegue fazer um castiçal utilizando a parte de cima e a parte de baixo, pode ser utilizada como porta trecos, vasos, pinguins (foto abaixo).
Image
 
Pinguins decorativos! Podem ser cofrinhos também!
 
 
 
 
 
Image
 
ImageImage
 
Porta revista e jornais
 
 
Image
 
Puf personalizado (com a estampa que desejar)
Image
 
Com o fundo de garrafa, você ainda pode ir mais além! Fazendo luminárias e cortinas! Deixando o ambiente super original!
ImageImage
 
 
 
 
Image ImageImageParede com garrafa inteira! Super original!
 
 Image
Image
Publicado pela Arquiteta e Designer de interiores Lessandra Dottori

 

Planta ideal para ambientes internos

Algumas plantas são ideais para ambientes internos, além de se adaptarem facilmente nesses locais, elas ajudam a purificar o ar.

Hoje em dia, a qualidade do ar que respiramos nem sempre é um ar puro ou tratado, mas algumas medidas podem ajudar a melhorar a qualidade em locais de trabalho e em sua residência.
Além de ser uma bela decoração e criar um contato mais forte com a natureza, essas plantas podem ser cultivadas em vasos, jardim de invernos e jardineiras.

São esses alguns exemplos que você poderá comprar para sua casa!

Espada de São Jorge: 

Absorve os óxidos de nitrogênio e o formaldeído. É necessário ficar atendo às crianças e animais domésticos, pois é altamente tóxica se ingerida. Pode ser conhecida como Língua-de-sogra, Rabo-de-lagarto, Sansevéria, entre outros nomes menos comuns. Deve ficar em um lugar meia sombra.

Image

Image

Antúrio e Azálea: 
Combate o amoníaco e é ideal para cozinhas e banheiros.

Image

Antúrio:

É uma planta tradicional no paisagismo. Deve ficar em um lugar meia sombra, ou seja, evitar ambientes com excesso de luz, pois pode causar queimaduras nas folhas e evitar ambientes muito escuros pois diminui a durabilidade da planta. Ele é sensível ao frio e pode sofrer queimaduras.

Image

Azálea: Estas plantas precisam de um solo bem drenado e uma exposição sombreada e fresca. O uso de fertilizantes é optativo. Algumas das espécies demandam podas regulares.

Image

Cactos:

Absorvem ondas eletromagnéticas e, segundo os cientistas, são ideias para serem colocadas próximas à televisores e micro-ondas, a fim de barrarem estas ondas. Necessitam de pouquíssima água e muita luz. Recomenda-se deixá-las próximas a janelas. No feng shui, são considerados grandes guardiões da casa e purificadores do ambiente.

Image

Begônias, Crisântemo, Gérbera são indicadas contra o fumo de cigarro, charuto, cachimbo. Recomenda-se sua utilização em salas e quartos.

Image

Gérbera: Além de ser uma flor muito bonita e de aspecto alegre, elimina o benzeno no ar, melhora a qualidade do sono devido a absorver dióxido de carbono e emitir mais oxigênio durante a noite.

Image

Begônias: Ideais para decoração de interiores em vasos, as begônias parecem verdadeiros buquês de flores. Suas folhas também são um atrativo: tem formas variadas e, no geral, são coloridas. O cultivo deve ser feito em substrato bem fértil, em ambientes protegidos da luz do sol, da friagem e do vento. A rega deve ser feita sem molhar as folhas.

Image

Lírio da Paz: Conhecido como planta “limpa tudo”, é responsável por absorver todos os tipos de poluentes. Costuma ser utilizada em banheiros ou lavanderias, uma vez que auxilia na remoção de esporos de fungos e mofo. Também elimina formaldeído e o tricloroetileno. Esta é uma das poucas plantas que florescem na sombra. Se seu jardim é sombreado, mas com bastante claridade, abuse desta espécie. O sol direto queima suas folhas! Mantenha-a sempre adubada e seu solo úmido.

Image

Orquídea borboleta: Além de ser belíssima, equilibra a umidade do ambiente. Orquídeas são todas as plantas que compõem a família Orchidaceae, pertencente à ordem Asparagales, uma das maiores famílias de plantas existentes.

Image

Bico de papagaio: Conhecida também como Flor do Natal, é um verdadeiro “filtro de ar”; ideal para lugares pouco ventilados. A planta recebe este nome devido a ser muito utilizada em decorações natalinas, por ser vermelha e se assemelhar a um floco de neve (remetendo ao Natal em países onde neva nesta época do ano). Não suporta ser exposta diretamente ao sol.

Image

Image

Palmeira Ráfis (Raphis): Age contra o amoníaco dos detergentes, sendo uma boa opção para cozinhas e banheiros, onde costumam ficar guardados os produtos de limpeza. Esta planta cresce muito e precisa de espaço, não requer muita luz ; combate o formaldeído e o xileno. Podem ser utilizadas para decorar jardins, varandas, sacadas ou salas amplas.
Com múltiplos caules semelhantes ao bambu, a Ráfis cresce ereta como suas folhas plissadas próximas. É muito usada sozinha em vasos para escritórios ou para montar jardins de inspiração oriental. Fica bem em todo tipo de iluminação. É importante regá-la com frequência sem encharcar seu substrato.  Nome cientifico: Rhapis excelsa.

Image

Palmeira de Bambu (Palmeira Areca): Ajuda a absorver gases tóxicos (formaldeído) e age como um umidificador natural. É considerada uma das melhores plantas para a purificação do ar, além de ficar bem como peça decorativa. Recomenda-se sua utilização em ambientes recém pintados. Deve-se regar com pouca água, mas pulverizando sua folhagem.

Image

Samambaia: Conhecida por absorver formaldeído e xileno, é muito eficaz e requer pouca manutenção, podendo ser ornamentais. Não resiste à exposição direta ao sol, pois é oriunda de matas mais fechadas. As folhas, chamadas frondes, são muitas vezes compostas ou recompostas, ou ainda em forma de língua e possuem esporos.

Image

Image

Planta Aranha (Clorófito; também conhecida como Gravatinha ou Paulistinha): Sua grande folhagem é útil para eliminar o monóxido de carbono e outras toxinas e impurezas do ar. Ideal para ambientes onde haja aquecimento com queima de gás ou madeiras. É uma das melhores plantas para a eliminação de formaldeído do ar.

Image

Image

Publicado pela Arquiteta e Designer Lessandra Dottori

Produtos Ecológicos:

Para você que procura elementos para agregar na sua casa, além de serem sofisticados, também demonstrarem um estilo de vida mais correto, neste post, vamos falar sobre alguns produtos sustentáveis.

Linho ecológico:

Sim! Podemos encontrá-lo. O Eco Leslie, como a fábrica de linho, Linifício Leslie, o nomeia, é uma variação rústica do linho tradicional que aproveita fibras curtas do vegetal, normalmente descartadas no início da confecção do pano.

Image

Empresa: A fábrica foi fundada em 1951, e se uniu à ONG Orientativa para criar delicadas almofadas bordadas por artesãs no Vale do Paraíba-SP.

As almofadas custas em torno de 130 reais, com a medida de 40 x 40 cm e representa 5% da produção da fábrica.

Móveis com pneus:

Mais uma boa novidade, é o design com pneus e fibras naturais.

Abaixo uma poltrona da coleção, feita de pneus de caminhão revestidos de fibra de taboa. Ela tem 60 cm de diâmetro e 1m de altura da empresa CWT Design de Belo Horizonte.

Desenvolvida pelas artesãs Lúcia Rosalina de Paula e Luciana Rosalina Barbosa em parceria com o arquiteto Sérgio Viana.

ImageVocê encontrará mais informações desse móvel e diversos outros no site ww.cwtdesign.com.br

Publicado pela arquiteta e Design de interiores Lessandra Dottori

Fonte: revista Casa Claudia Jul – 2008